Arquivo da categoria: Agropecuária

Ministério regulamenta torneios leiteiros para evitar abusos de animais

Globo Rural

A Secretaria de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação (SDI) do Ministério da Agricultura publicou na segunda-feira (29/4) a Instrução Normativa nº 6, que estabelece as boas práticas em torneios leiteiros. Em nota, a pasta diz que o objetivo da IN é “evitar abusos de animais, suprir a falta de regras, corrigir prejuízos causados à imagem do setor, bem como os econômicos gerados por concorrência desleal entre produtores de genética que foram apontados na Câmara Setorial de Leite e Derivados“.

A IN traz, por exemplo, que o torneio tem que ser autorizado pelo órgão oficial de defesa agropecuária e precisa estar sob a responsabilidade de um responsável técnico, médico veterinário credenciado no Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado. A partir daí, será possível cobrar do responsável técnico uma atuação mais presente no torneio, monitorando os animais, o estado de saúde deles, definindo como as instalações precisam estar para recebê-los e evitar a disseminação de práticas que ferem o bem-estar animal. Suspeitas de crueldade, maus-tratos ou abuso de animais, por exemplo, devem ser comunicados ao serviço oficial de defesa agropecuária, à polícia ambiental e à organização do evento.

Fica proibido, também, ministrar medicamentos e empregar substâncias ou qualquer agente químico ou físico capaz de alterar o desempenho dos animais no torneio leiteiro. “A aplicação de ocitocina será tolerada desde que previamente comunicada ao responsável técnico e que seja fornecida e monitorada pela organização do evento”, ordena a IN. Ocitocina é um hormônio que estimula a produção leiteira e tem o potencial de provocar dor na vaca lactante.

O documento prevê ainda as responsabilidades do técnico, as premissas para criação dos regulamentos de cada torneio leiteiro, assim como devem ser as instalações e o uso de medicamentos durante o evento.

Agricultores de Lagoa dos Gatos recebem sementes de milho

IPA

Na sexta-feira (26), foram realizadas oficina e entrega das sementes de milho para agricultores e agricultoras cadastrados no Programa Dom Helder, no município de Lagoa dos Gatos, ligado à Gerência Regional de Lajedo. Os agricultores cadastrados no programa receberam ou vão receber 10 quilos de sementes de milho para o próximo plantio.

Estagiários da UFRPE acompanham Assistência Técnica a caprinocultores de Calumbi

IPA

Estagiários da Unidade Acadêmica de Serra Talhada (UAST/UFRPE) acompanharam as atividades de Assistência Técnica a caprinocultores e a unidades didáticas do escritório do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), em Calumbi, ligado à Gerência Regional do Instituto de Serra Talhada. A visita ocorreu na quarta-feira (24).

O grupo foi acompanhado pelo técnico do Escritório Municipal do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Antônio Pereira de Barros, em visitas de ATER, juntamente com estagiários do curso de Agronomia da UAST, Erison Martins e Simone Andrea.

A atividade começou no Sítio Monte Alegre, de Evandro José do Nascimento e Francisca Maria dos Santos, que possui uma área de 28,0 hectares, explorado de forma simples, porém eficiente com agricultura de sequeiro, pastagens e criação de ovinos e caprinos.

Os agricultores começaram a receber ATER, por meio do IPA no ano de 2011, participando entre outras ações de: Curso sobre Manejo e Sanidade, Distribuição de Sementes de Palma Forrageira, Milho, Feijão e Sorgo, como também foi viabilizado o acesso da mesma ao microcrédito do PRONAF de forma a alavancar a principal potencialidade do imóvel, promovendo o aumento do rebanho caprino de 40 cabeças em 2011 para um rebanho médio na atualidade de 150 caprinos e 10 ovinos.

O casal atesta que, neste ano, obteve com a venda de caprinos de janeiro a abril R$ mil, valor mensal médio apenas com a caprinocultura de  R$ 1 mil, confirmando a vocação da família na atividade, como também a eficiência e importância das orientações e atividades desenvolvidas pela ATER junto a mesma.

“Visitamos também uma Unidade Didática em forma de “Quintal Produtivo” na área externa do nosso Escritório Municipal de Calumbi, onde cultivamos  e mantemos experiências no combate a praga da Cochonilha, multiplicamos em pequenas quantidades  e distribuímos sementes de palma forrageira e algumas sementes crioulas, cultivamos como experimentos: mamão, macaxeira, andu, abobora, hortaliças e amendoim objetivando repassar orientações e mantemos um pequeno minhocário produzindo adubo orgânico”, conta o supervisor Regional de Extensão Rural, Tito Ferraz Jota.

Agricultores de Caruaru participam da Feira do Verde no Brejo da Madre de Deu

IPA

Agricultores de Caruaru participaram da 19ª Feira do Verde no Brejo da Madre de Deus. O evento foi promovido, dias 26 e 27 de abril, pelo Conselho de Desenvolvimento Sustentável do Brejo (CONDESB), com apoio do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), Prefeitura Municipal do Brejo da Madre de Deus; Governo do Estado; Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária e parceiros, a exemplo do Sindicado dos Trabalhadores Rurais e SERTA.

Aftosa: rebanho de 24 Estados e do DF serão vacinados em maio

Globo Rural

A primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra febre aftosa começa em maio em 24 Estados e no Distrito Federal. Em nota, o Ministério da Agricultura diz que a previsão é de imunizar 216,6 milhões de bovinos e 1,4 milhão de bubalinos. O Estado do Amapá só vacinará seu rebanho nos meses de setembro, outubro e novembro e Santa Catarina não vacina mais. De acordo com o Ministério, Espírito Santo, Acre e Paraná são os únicos Estados que vacinarão apenas animais jovens com até 24 meses de idade.

O Ministério da Agricultura solicitou aos laboratórios que 218 milhões de doses de vacinas sejam disponibilizadas nesta etapa. Serão utilizadas as vacinas com 2 ml, que são bivalentes, com os vírus do tipo A e O. “A sua composição é diferente da utilizada nas campanhas passadas, especialmente para diminuir a formação de abscessos e, mantendo o mesmo nível de proteção dos animais”, informou o Ministério.

Rio Grande do Sul começa nesta quarta

No Rio Grande do Sul, a primeira etapa da campanha de vacinação começa nesta quarta-feira (1/5) em todo o Estado, informou a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr).

A meta é imunizar 12,5 milhões de bovinos e búfalos e atingir cobertura vacinal de mais de 90%. Produtores devem comprar as doses das vacinas com 2 ml para todo o rebanho em casas credenciadas pela Seapdr e comprovar a vacinação por meio de nota fiscal de compra ou por declaração de quantitativo de animais vacinados.

“Aqueles que não comprovarem a vacinação serão autuados, conforme determinação do Decreto Estadual 52.434/2015, e terão sua propriedade interditada até a regularização dos procedimentos”, diz a secretaria.

Expozebu já vende em leilões 25% a mais do que em 2018

Globo Rural

O clima na ExpoZebu 2019, que está sendo realizada em Uberaba (MG), é de otimismo com a pecuária, e isso está se refletindo nos leilões. Até agora já foram realizados 13 remates e o faturamento atingiu R$ 25,912 milhões. A cifra é 25% maior do que o registrado na mesma quantidade de leilões no ano passado. Tudo indica que a temporada de vendas deverá ser a maior dos últimos anos, segundo a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ), que promove a feira.

Um total de 626 animais já foram negociados. E ontem uma venda recorde repercutiu no Parque Fernando Costa, onde a ExpoZebu é realizada. No pregão Noite dos Campeões, já em sua 34ª edição, 50% do touro Calibre FIV Camparino recebeu preço de R$ 810 mil. Ele vale, portanto, R$ 1,620 milhão. Foi adquirido pelo criador Eduardo da Costa.

Outro valor bom foi alcançado na comercialização de 50% do touro Logan da Di Gênio. Ele também teve 50% vendido e o preço foi de R$ 375 mil. Vale, portanto, R$ 375 mil, e a venda aconteceu no pregão Elo de Raça. Quem comprou foi a paulista HRO Agropecuária

Eu conversei com muita gente aqui na ExpoZebu. Criadores atribuem o futuro promissor da pecuária nacional como motivador das vendas em leilão.

Gostei do ritmo rápido do leilão Essência da Raça Sindi. Bons animais, comercialização rápida e alegria. A zebuína sindi tem crescido aceleradamente no Brasil.

No final, fatura de R$ 1,710 milhão. Quem organizou o leilão foi a empresa Connect, de Londrina, no Paraná. A empresa tem apenas 4 anos e a sua proposta é desburocratizar ao máximo as vendas.

Tem surgido empresas novas no cenário dos leilões brasileiros.

E atenção: a ABCZ informa que já esta sendo procurada por fazendas interessadas em reservar lugar na agenda de leilões para a ExpoZebu do ano que vem.

Megaleite

Do corte para o leite. Foi anunciado ontem aqui na ExpoZebu a realização da Megaleite, que reúne as principais raças leiteiras. Será dos dias 19 a 22 de junho, no Parque da Gameleira, em Belo Horizonte.

Quem apresentou a Megaleite foi o presidente da Associação Brasileira dos Criadores de Girolando, Luiz Carlos Duarte. A girolando é uma raça formada no Brasil.

Eu lembro ao leitor que a Megaleite é a mais importante feira da pecuária de leite brasileira.

Brahman

A diretoria da Associação do Brahman comunica que nesta quinta (2/5), comemora no seu estande os 25 anos da raça no Brasil. No mesmo evento, a diretoria assina acordo com a CNA do protocolo da carne brahman premium, É um passo importante para a raça.
Ex-presidentes da associação, como Tonico Carvalho, Jovelino Mineiro, e outros, estarão presentes.

New Holland: tirar subsídios da agricultura seria um tiro no pé

Globo Rural

A agricultura brasileira não está preparada para trabalhar sem subsídios.Seria um tiro no pé”, afirmou o vice-presidente para a América Latina da New Holland, Rafael Mioto, durante entrevista nesta terça-feira (30/4) na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP).

O executivo da montadora de máquinas agrícolas se referia aos rumores de que o governo Bolsonaro vai reduzir os recursos para o crédito agrícola no próximo Plano Safra, que será anunciado em 12 de junho.

O diretor de Mercado Brasil da marca, Alexandre Blasi, acrescentou que os subsídios são fundamentais para o setor agrícola continuar a ser o propulsor do PIB brasileiro. Segundo ele, apenas 3% da porcentagem da renda dos agricultores brasileiros é proveniente de apoio direto do governo, ante os 5% de produtores russos, 15% dos chineses, 17% dos americanos e 34% dos europeus.

Os executivos afirmaram ter dúvidas se será suficiente até junho o aporte de R$ 500 milhões anunciados na abertura da feira pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, para o Moderfrota, linha de financiamento de compra de máquinas agrícolas. Segundo ele, muitos negócios ficaram parados durante os dias em que o setor ficou sem recursos.

Questionado se prefere um Plano Safra com mais recursos e juros maiores ou o contrário, Mioto afirmou preferir mais disponibilidade de dinheiro para financiamentos, desde que haja previsibilidade. “É preciso saber qual é a real taxa de juros ao longo dos sete anos de financiamento.”

Mesmo com a insegurança em relação ao crédito agrícola, os executivos projetam um crescimento de vendas no ano de 5% a 10% porque, dizem, os fundamentos da economia estão sólidos, com inflação abaixo da meta, preços bons da commodities, previsão de aumento do PIB de 2% e taxa de juros Selic estável.

s desafios futuros para o setor, segundo Blasi, são obter maior produtividade por hectare, migrar da monocultura para a multicultura e negociar a expansão da área agrícola.

Na Agrishow, a multinacional que chegou ao Brasil em 1975 mostra novidades nas famílias de tratores, pulverizadores, plantadeiras, forrageira, ferramentas de agricultura de precisão e o ConectarAgro, solução aberta de conectividade para o campo em parceria com outras sete empresas.

Destaques

Entre as máquinas, um destaque é o trator T9, o maior já fabricado pela New Holland, ideal para áreas de cultivo em larga escala, com opções de esteira ou pneus. Outra máquina que atrai muitos olhares no estande é a colheitadeira CR 10.90, de mais de 700 cv, recordista em colheita de trigo com 800 toneladas em 8 horas.

O trator movido a biometano, maior novidade apresentada na feira do ano passado, continua em testes de validação e deve estar disponível para o mercado em 2021, segundo o diretor de marketing de produto para a América do Sul, Eduardo Luis.

Agrishow – novas máquinas trazem mais agilidade e conforto ao produtor

Canal Rural

A liberação de mais R$ 500 milhões para serem utilizados na aquisição de máquinas agrícolas através do programa Moderfrota animou os produtores que visitam a Agrishow, em Ribeirão Preto (SP). Para atrair os investidores, as montadoras acenam com equipamentos que garantem mais conforto, maior agilidade nas operações e redução do impacto sobre o solo.

Com o boi lento e logo em ritmo de desova, mercado busca proteção e contratos na B3 dobram com pico na semana passada

Notícias Agrícolas

Indústrias estão com escalas folgadas e não dá mostras de busca acelerada para semana de pagamento/dia das mães. R$ 156/156, 75 segue a média pesquisada pela consultoria e corretora Radar em SP. De janeiro a semana passada, os contratos abertos saíram de pouco mais de 5 mil para perto de 10 mil.

Douglas Coelho – Radar Investimentos – São Paulo-SP

Podcast

Entrevista com Douglas Coelho – Radar Investimentos – São Paulo-SP sobre o Mercado do Boi Gordo

LOGO nalogo

Com o mercado do boi em ritmo lento e em desova, boa parte dos pecuaristas estão buscando proteção de preços. Diante desse cenário, os contratos abertos na Bolsa Brasileira (B3) praticamente dobraram de cinco mil passaram para 10 mil na semana passada.

De acordo co o Sócio da Radar Investimentos, Douglas Coelho, os pecuaristas procuraram os frigoríficos o que contribuiu para destravar parte dos negócios na semana passada. “Hoje, já observamos um mercado relativamente mais calmo e algumas indústrias foras das compras e preços de balcão mais comportados”, comenta.

Atualmente, as referências para o boi gordo em São Paulo estão ao redor de R$ 156,00/@ a R$ 156,50/@. “O feriado nesta quarta-feira não atrapalha tanto o mercado neste momento, pois as indústrias não têm mais tanta necessidade de compras urgentes e já completaram as escalas dessa semana”, afirma.

Os valores da carne no atacado deram uma arrefecida e isso contribui para que os frigoríficos testam preços menores. “A gente vem de um período que teve uma retenção forte de animais com chuvas atípicas e acabou deixando o gado mais pesado, podemos ver que os produtores começaram a ver esse mercado de outra forma”, destaca.

Os meses de maio e junho são marcados pela a desova de final de safra. “É possível dizer que pode ter um atraso nesta desova já que choveu um volume acima da média. O animal que deveria sair antes pode ser sair na fase final desse período”, pontua.