Arquivo da categoria: Indústria Metalmecânica e Eletroeletrônica

Mais um navio fica de quarentena no Porto de Suape após tripulante testar positivo para Covid-19

G1

A administração do Porto de Suape divulgou, neste domingo (24), que um novo navio entrou em quarentena após um tripulante realizar um teste rápido, que deu positivo para Covid-19. A primeira embarcação, que estava retida desde 15 de maio, deixou o porto nesta madrugada, após ser liberada pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Suape informou que essa segunda embarcação trata-se de um conteineiro com 21 tripulantes, que chegou ao porto no sábado (23). A equipe médica a bordo realizou o teste rápido para a doença em um tripulante e o resultado foi positivo, segundo a administração. Com isso, foi iniciado o protocolo de quarentena.

O conteineiro chegou para descarregar 199 contêineres vindos do Porto de Manaus (AM), sua última parada, e embarcar outros 152. Uma equipe da Anvisa realizou inspeção sanitária no navio e verificou que os demais tripulantes não estão com sinais da doença.

A embarcação ficará retida por 14 dias no Cais 1 do Porto de Suape, local definido para atracação em casos de Covid-19, sem prejudicar a operação portuária. Assim como no primeiro caso, não houve embarque ou desembarque de tripulação, nem contato com os trabalhadores portuários locais.

O tripulante, um homem de 42 anos, estava isolado em sua cabine no navio desde o dia 16 de maio, quando apresentou quadro de tosse, mas sem febre ou outro sintoma relacionado à Covid-19, segundo Suape. No mesmo dia, a equipe médica de bordo fez um teste rápido, cujo resultado foi negativo.

Naquela ocasião, o caso não se enquadrava como suspeito de acordo com os protocolos da Anvisa. Entretanto, o tripulante foi mantido em isolamento e, mesmo com a remissão do único sintoma apresentado (tosse), o teste foi repetido após sete dias, no dia 23, quando deu resultado positivo.

Segundo Suape, o homem segue em isolamento, estável, assintomático e será monitorado pela Anvisa. O navio só poderá operar após terminar o período da quarenta e se nenhuma outra pessoa apresentar suspeita da doença.

Primeiro navio

Embarcação deixa o Porto de Suape neste domingo (24) — Foto: Francisco de Assis/Suape

Embarcação deixa o Porto de Suape neste domingo (24) — Foto: Francisco de Assis/Suape

A embarcação, que atracou no dia 11 de maio, foi liberada pela Anvisa após constatação de que os demais 25 tripulantes não manifestaram sinais da doença, segundo a administração de Suape.

De acordo com o Porto de Suape, o navio veio do Terminal de Madre de Deus, na Bahia, para receber óleo combustível para exportação, através de transbordo com outras embarcações. No dia 15 de maio, um tripulante de 46 anos testou positivo para a doença causada pelo novo coronavírus e permaneceu isolado, dentro de sua cabine no navio, sendo medicado e monitorado.

A administração do porto informou que o homem tinha estado de saúde considerado estável e assintomático, sendo liberado pela Anvisa para cumprir o fim da quarentena em sua residência. Este foi o primeiro caso confirmado no Porto de Suape (veja vídeo abaixo).

Navio está em quarentena no Porto de Suape após tripulante testar positivo para Covid-19

00:00/00:41

Navio está em quarentena no Porto de Suape após tripulante testar positivo para Covid-19

Barreira sanitária

Ainda de acordo com o Porto de Suape, foi ativado um Plano de Contingência e Emergência em Saúde Pública, montado para dar resposta a situações relacionadas a casos de doenças infectocontagiosas, com uma barreira sanitária instalada no local.

A barreira sanitária prevê que os técnicos envolvidos na investigação se higienizem e descartem os equipamentos de proteção individual utilizados a bordo. Caso seja preciso fazer alguma remoção a algum hospital, há uma ambulância no porto, com equipe especializada, que se mantém de plantão.

“Toda a movimentação vem sendo monitorada e, antes de atracar, as embarcações precisam de autorização da Anvisa, órgão responsável por conceder a livre prática aos navios, ou seja, a anuência para que o navio possa entrar no porto e operar, checando e atestando as condições sanitárias e de saúde do ambiente e dos tripulantes a bordo, por meio da Declaração Marítima de Saúde preenchida pelo comandante”, disse o porto, por meio de nota.

Silver Shadow

Este foi o terceiro navio a ser retido no estado, desde o início da pandemia de coronavírus. O primeiro foi o cruzeiro Silver Shadow, que ficou 14 dias de quarentena no Porto do Recife depois que um turista canadense de 79 anos passou mal e teve confirmação para a doença. A embarcação foi retida dia 12 de março e o turista morreu no dia 26 do mesmo mês.

Coronavírus em Pernambuco

Pernambuco confirmou, no sábado (23), mais 1.026 pacientes com o novo coronavírus e 87 mortes. Com isso, o estado contabilizou, ao todo, 26.786 casos já confirmados da Covid-19 e 2.144 óbitos relacionados à doença, desde que foram registrados os primeiros casos, em março. Do total de casos, 6.201 são profissionais de saúde.

TCP tem maior movimentação do ano

A TCP – empresa que administra o Terminal de Contêineres de Paranaguá, registrou um novo recorde com 85.926 TEUs de cargas movimentadas no mês de abril. A marca representa crescimento de 18% em relação ao mês de março de 2020 e de 14% em relação à movimentação registrada em abril de 2019. O recorde anterior foi registrado em janeiro de 2020, com 84.601 TEUs movimentados.

O crescimento deve-se, principalmente, ao reposicionamento estratégico da TCP perante os armadores com foco em apoio mútuo e geração de benefícios através de sinergias entre as operações marítimas e logísticas, aumentando assim a atratividade aos exportadores e importadores. Esse formato incrementa o volume das operações cativas e converte volumes de outros portos. Além disso, a oferta de linhas marítimas também foi ampliada.

“Em 2020 tivemos o retorno da linha direta da Costa Leste dos Estados Unidos, somado ao aumento das capacidades nas soluções intermodais. Com isso abrimos a possibilidade para que nossos clientes utilizem o nosso terminal de modo ainda mais competitivo”, explica Thomas Lima, vice-diretor Comercial da empresa.Publicidade

Na comparação com o ano anterior, os segmentos que mais cresceram foram: o agronegócio (+44%), especialmente com o mercado de fertilizantes; papel e celulose (+27%); carnes e congelados (+16%); e, madeira (+15%). A previsão de crescimento da movimentação total no ano de 2020 é de 4%.

VANTAGENS

Thomas Lima destaca que as operações dedicadas aos importadores e exportadores são vantajosas via TCP, já que a empresa possui o maior número de linhas marítimas regulares do país, além de dispor de soluções exclusivas – como por exemplo a conexão direta com a ferrovia. “Em parceria com a Brado e com os armadores, a TCP oferece uma série de serviços logísticos que tornam o Porto de Paranaguá mais atraente em termos de eficiência e custos. Um dos exemplos, é o casamento entre importações e exportações na ferrovia, otimizando as logísticas e por consequência reduzindo os custos dos nossos clientes”.

Além disso, o Terminal também oferece sete dias livres de armazenagem na exportação, 10 dias livres na importação e conta com o a maior estrutura para cargas refrigeradas da América Latina, com 3.624 tomadas. “Outro fator relevante é a atuação dos órgãos intervenientes dentro da TCP, o que dá mais agilidade e segurança nos processos de liberação de cargas”, finaliza.

Abratec aponta judicialização como risco a investimentos em infraestrutura de terminais de contêineres

Portos e Navios

A construção de uma pera ferroviária, com o objetivo de ampliar o fluxo de granéis sólidos no porto de Santos, está sub judice. A iniciativa está inserida no Plano de Zoneamento e Desenvolvimento do Porto de Santos, que integra o Plano Mestre para a região, já aprovado. No entanto, a Marimex, empresa responsável pelo arrendamento da área, obteve uma extensão liminar com vistas à prorrogação do contrato. A questão está na Justiça.

“É importante, nesse momento, ter atenção à importância das políticas públicas para que seja possível gerar mais empregos com o fortalecimento das vias ferroviárias para a melhoria de gargalos logísticos históricos na região de Santos”, diz Sérgio Salomão, presidente executivo da Abratec – Associação Brasileira de Terminais de Contêineres.

Com o projeto da pera ferroviária, as operações de carga e descarga de mercadorias propiciam o aumento da movimentação de atuais 5,5 milhões de toneladas para 20 milhões de toneladas de granéis sólidos após a conclusão das obras.Publicidade

Marintec Navalshore

Leia também
Empresa e governo brigam na Justiça por área no porto de Santos
Empresa consegue liminar para prorrogar temporariamente concessão portuária em Santos

A Abratec destaca em nota que os investimentos realizados nos mais modernos terminais portuários foram responsáveis por sustentar resultados de peso mesmo em um cenário de pandemia.

O Brasil registrou um superávit comercial marítimo de 19,7 bilhões de dólares entre janeiro e abril desse ano, montante 15% maior que o registrado no mesmo período do ano anterior, de acordo com a Associação dos Terminais Portuários (ATP). Os bons números também foram refletidos no Porto de Santos, que fechou abril com 13,4 milhões de toneladas de carga movimentadas, número 5% superior ao recorde anterior, de outubro de 2019, e 26,8% maior que o registrado em 2019, segundo a Santos Port Authority.

“Para manter essa tendência de crescimento, marcada pela atuação de excelência do setor privado, as empresas precisam sentir confiança em um ambiente regulatório estável, para garantir seus investimentos futuros”, finaliza Sérgio Salomão.

Porto de Santos tem novo arrendatário na Ilha Barnabé

Portos e Navios

A Santos Port Authority (SPA) assinou o contrato de arrendamento do terminal STS 13A com a empresa Adonai East, do grupo Aba Infraestrutura e Logística S/A, dando uso operacional para mais uma área no Porto de Santos. Localizado na Ilha Barnabé, margem esquerda do complexo portuário, o STS 13A foi arrematado pela Aba em leilão realizado em agosto de 2019, na B3, em São Paulo, com um lance de R$ 35 milhões. A outorga irá para o Tesouro da seguinte forma: 25% na assinatura e mais cinco parcelas anuais.

A empresa ganhou o direito de explorar o ativo para armazenar e movimentar granéis líquidos pelo prazo de 25 anos, contados a partir da assunção da área. O contrato foi assinado na terça-feira (19) e o extrato foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) nesta sexta-feira (22). Também assinam o contrato de arrendamento o Ministério da Infraestrutura (Minfra) e a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

“São quase oito anos sem uso de uma área nobre no Porto de Santos e importante para o mercado nacional de combustíveis. A gestão alinhada da SPA, do Ministério da Infraestrutura e da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) permitiu a realização de um leilão bem-sucedido cujo contrato de arrendamento dará mais competitividade e eficiência ao setor, gerando receita para o Porto e emprego e renda para a região”, afirma o presidente da SPA, Fernando Biral.Publicidade

A área conta com 38,4 mil metros quadrados e estava sem operação desde 2012, após o fim do contrato com o antigo arrendatário. A empresa pagará à SPA o valor de R$ 158,5 mil mensais de arrendamento fixo e R$ 4,15 por tonelada de carga movimentada de arrendamento variável. A nova área deverá ter, segundo o contrato, capacidade estática mínima de 70,5 mil metros cúbicos. Os investimentos estimados a serem feitos pela empresa somam aproximadamente R$ 111 milhões.

A Aba já atua em Santos com outros dois terminais. É arrendatária do terminal Adonai, também na Ilha Barnabé, destinado à movimentação a líquidos, e do Concais (passageiros).

MRN comemora um ano sem acidentes com afastamento

Abal

No distrito de Porto Trombetas, no município de Oriximiná, no Oeste do Pará, a Mineração Rio do Nortes (MRN) celebra dupla conquista com seus empregados. A empresa completou um ano sem acidente com afastamento, totalizando 10.406.755 horas/homens trabalhadas e também cinco meses sem acidente reportável, totalizando 4.439.907 horas/homens trabalhadas.

“O engajamento e a demonstração de uma preocupação visível com a segurança reforçam este compromisso focado na excelência e o desejo que todos os empregados apresentem uma cultura sólida em segurança, mantendo comportamentos alinhados com essas normas mesmo fora do ambiente de trabalho. Neste sentido, os empregados dispõem de plenos poderes para intervir nos processos e atividades, estimulando os colegas a não se expor ao risco, reafirmando diariamente o compromisso com nosso lema Se não for seguro, torne seguro”, destaca Antônio Moura, gerente de Segurança no Trabalho da MRN.

A MRN também concentrou o trabalho nas lideranças da Companhia e de empresas contratadas com treinamentos teórico e prático na ferramenta. Na parte teórica, as pessoas são levadas a entender que as atividades que desenvolvem, por mais simples que sejam, podem oferecer riscos. Já na parte prática, os profissionais são treinados a interagir de forma amistosa com os colegas, levando-os a refletir sobre o risco do ambiente e a desenvolver a atividade de forma mais segura.

Instituto Alcoa doa R$ 200 mil para Hospital Universitário do Maranhão

Abal

Comemorando 30 anos de trabalho no Brasil, o Instituto Alcoa fez a doação de R$ 200 mil  em termômetros, máscaras, óculos e protetores faciais para o Hospital Universitário (HU-UFMA), por meio da Fundação Sousândrade de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal do Maranhão (FSDU). A iniciativa será coordenada pela Alumar.

A doação integra o pacote de ajuda humanitária que o Instituto Alcoa estabeleceu, a partir da revisão de sua estratégia, para oferecer apoio às principais demandas às localidades, diante da urgência de resposta à pandemia do novo coronavírus. Serão investidos mais de R$ 4,2 milhões nas iniciativas que compõem o fundo de resposta à crise.

O diretor da Alumar, Helder Teixeira, ressaltou a importância da contribuição para os profissionais de saúde do Maranhão.

“Diante de um cenário em que todos os segmentos no Brasil se unem na luta contra a pandemia, a Alumar, por meio do Instituto Alcoa, reforça essa posição com uma ajuda fundamental para os que estão na linha de frente de combate à Covid-19”.

Votorantim congela aquisições à espera de clareza em pandemia

Money Times

A Votorantim vai adiar os planos de diversificar o portfólio, concentrado em commodities, com ativos de energia e infraestrutura menos cíclicos.

O conglomerado, que controla a mineradora Nexa Resources e a Citrosuco, decidiu cortar investimentos e adiar aquisições depois da queda de 46% do lucro operacional no primeiro trimestre.

As medidas de isolamento durante a pandemia interromperam operações no Peru, Colômbia e Argentina, e a turbulência econômica global pesou nos preços dos metais.

“Nossos planos não mudaram, foram adiados”, disse o diretor financeiro Sergio Malacrida.

A Votorantim planeja reduzir os investimentos em 18%, para R$ 3,3 bilhões neste ano. A retomada das fusões e aquisições vai depender da maior clareza sobre a evolução da pandemia.

A empresa tem observado uma melhora no ritmo das operações. Duas das três minas no Peru retomaram as operações na semana passada, a mineração na Argentina foi reiniciada nesta semana e as operações na Colômbia devem recomeçar no fim do mês, disse.

O desempenho da divisão de cimento na Argentina tem sido relativamente bom, pois a inflação alta mantém o apelo de investimentos do setor imobiliário e de construção.

A Votorantim possui participação de 50% na Citrosuco, maior exportadora mundial de suco de laranja. Após anos de demanda em queda, o consumo da bebida aumentou com a maior procura por fontes de vitamina C.

Os futuros do suco de laranja acumulam alta de 25% neste ano, o que deve elevar os patamares de preço nos contratos em renovação com empresas de bebidas, disse.

“Porém, não sabemos se essas mudanças serão perenes após o vírus e como será o mundo”, disse. “O momento é de cautela.”

O grupo registrou prejuízo líquido de R$ 3,4 bilhões no primeiro trimestre, comparado ao lucro líquido de R$ 4,4 bilhões em igual período do ano anterior.

China muda regra alfandegária para ferro australiano; Brasil pode se beneficiar

Estado de MInas

A China vai alterar suas regras de inspeção alfandegária para o minério de ferro da Austrália, principal produto de exportação do país, a partir de 1º de junho, informa a mídia australiana.

Existem temores de que a mudança nos procedimentos seja usada para favorecer o Brasil, que é o segundo maior fornecedor mundial de minério de ferro para a China, de acordo com o site da emissora de TV australiana 7News.

O receio é que as exportações brasileiras de minério de ferro sejam liberadas com mais agilidade nos portos chineses e que as australianas fiquem retidas, diz a 7News.

Navio que estava em quarentena deixa Suape

Diário de Pernambuco

A embarcação de bandeira brasileira que estava em quarentena no Porto de Suape desde o dia 11 de maio, após um tripulante apresentar sintomas da Covid-19, deixou o porto na madrugada de ontem. O navio foi liberado pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) após constatação de que os demais 25 tripulantes não manifestaram sinais da doença. O homem, de 46 anos, testou positivo no dia 15 de maio e permaneceu isolado, dentro de sua cabine no navio, sendo medicado e monitorado. Ele está estável, assintomático e foi liberado pela Anvisa para cumprir o fim da quarentena em sua residência.  Este foi o primeiro caso confirmado no Porto de Suape.Todos os procedimentos de segurança e prevenção indicados pela Anvisa foram adotados pela administração do Porto de Suape. Não houve embarque ou desembarque de tripulação, nem contato com trabalhadores portuários locais. O navio veio do Terminal de Madre de Deus, na Bahia, para receber óleo combustível para exportação, através de transbordo com outras embarcações, chegando no dia 11. A embarcação permaneceu isolada em área do Cais 1 até o momento da desatracação. Após deixar Suape, o navio seguiu para o Porto de St. Croix, localizado nas Ilhas Virgens.Outro navio de bandeira brasileira, desta vez um conteineiro com 21 tripulantes, informou que a equipe médica a bordo realizou o teste rápido num tripulante e o resultado foi positivo. A embarcação chegou ao Porto de Suape no fim da manhã de sábado para descarregar 199 contêineres vindos do Porto de Manus (AM), sua última parada, e embarcar outros 152. Uma equipe da Anvisa concluiu a inspeção sanitária no navio e verificou que os demais tripulantes não estão com sinais da doença. A embarcação ficará em quarentena por 14 dias no Cais 1 do Porto de Suape, local definido para atracação em casos de Covid-19, sem prejudicar a operação portuária. Assim como no primeiro caso, não houve embarque ou desembarque de tripulação, nem contato com os trabalhadores portuários locais.O homem, de 42 anos, está isolado em sua cabine no navio desde o dia 16 de maio, quando apresentou quadro de tosse, mas sem febre ou outro sintoma relacionado à Covid-19. No mesmo dia, a equipe médica de bordo fez um teste rápido, cujo resultado foi negativo. Naquela ocasião, o caso não se enquadrava como suspeito de acordo com os protocolos da Anvisa. Entretanto, o tripulante foi mantido em isolamento e, mesmo com a remissão do único sintoma apresentado (tosse), o teste foi repetido após sete dias (em 23/5), com resultado positivo. O homem segue em isolamento, estável, assintomático e será monitorado pela Anvisa. O navio só poderá operar após terminar o período da quarenta se nenhuma outra pessoa apresentar suspeita da doença.  Como estabelece o Plano de Contingência e Emergência em Saúde Pública do Porto de Suape, para resposta a situações relacionadas a casos de doenças infectocontagiosas, uma barreira sanitária ficará instalada no local, para que os técnicos envolvidos na investigação se higienizem e descartem os Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) utilizados a bordo. Ambulância do porto, com equipe especializada, se mantém de plantão, caso precise fazer alguma remoção a hospital.

Avançam estudos para recuperação do Cais 3 do Porto de Imbituba

Portos e Navios

A SCPAR Porto de Imbituba concluiu no início de maio s serviços de inspeção subaquática para a elaboração do projeto básico de recuperação e reforço Cais 3 do Porto de Imbituba. A sondagem geotécnica deve terminar ainda este mês. A estatal que administra o porto tem acompanhado as análises de campo e monitora o andamento dos trabalhos. A última etapa de estudos prévios, que está em fase de planejamento, será a análise das patologias das estruturas em concreto armado, com ensaio em laboratório.

A EGT Engenharia, empresa contratada responsável pelo projeto, efetuou mergulhos para inspeção subaquática entre os dias 30 de abril e 5 de maio, com o objetivo de analisar, de forma visual e tátil, as condições das estacas de fundação do Cais 3, permitindo avaliar se há alguma fissura na estrutura e em qual situação se encontram as proteções das estacas.

A contratada também está realizando sondagens geotécnicas na área do cais e retroárea, para confirmar o perfil geológico existente e ajudar no dimensionamento das cargas no pavimento. Este serviço iniciou em 30 de abril e terminará até o fim de maio.

O prazo para entrega do projeto básico de reforço e recuperação do Cais 3 é até início de agosto. Assim que concluída esta etapa, a autoridade portuária entrará em fase de elaboração de processo licitatório para o projeto executivo e execução da obra, prevista para ser concluída em 2023.