Medida injeta R$ 39 bi na economia

Jornal do Comércio

BRASÍLIA – O Ministério do Planejamento estima que a ampliação do público que poderá sacar recursos
das contas do PIS/Pasep vai injetar R$ 39,3 bilhões na economia, o que poderá gerar impacto potencial de
0,55 ponto porcentual no Produto Interno Bruto (PIB). A ampliação das pessoas que poderão sacar os
recursos foi formalizada ontem no Palácio do Planalto.
O presidente Michel Temer anunciou a ampliação do saque do fundo do PIS/Pasep para trabalhadores não
aposentados de todas as idades. As pessoas que trabalharam com carteira assinada entre 1971 e 1988 terão
até o dia 28 de setembro para retirar os recursos, seguindo um calendário que será divulgado pelo governo
federal.
A partir dessa data, terão prioridade aqueles com idade superior a 60 anos e todos os que já poderiam retirar
os recursos nas condições anteriores.
Trabalhadores poderão consultar canais de atendimento do Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal que
serão criados especialmente para o programa.
Estimativa do Ministério do Planejamento indica que, na média, cada conta do PIS/Pasep registra valor
médio de R$ 1.000. Segundo o Ministério do Planejamento, as atuais condições do programa de saque do
PIS/Pasep já acumulava saque de R$ 5 bilhões por 3,6 milhões de trabalhadores.
A expectativa é de que a nova faixa de idade contemple 28 milhões de pessoas com um montante total de
cerca de R$ 39 bilhões. O valor liberado representa 0,55% do Produto Interno Bruto (PIB).
“Os R$ 39 bilhões que estamos liberando nada mais são do que recursos do próprio trabalhador. O que
tratamos de garantir é que esses valores possam ser resgatados por seus verdadeiros donos”, disse o
presidente.
Segundo ele, a medida tenta trazer um alívio ao orçamento doméstico das famílias brasileiras.
Para trabalhadores da iniciativa privada com direito ao saque, a consulta ao saldo do PIS está liberada no site
da Caixa Econômica Federal.
Já para os servidores públicos inscritos no Pasep, a consulta pode ser feita no site do Banco do Brasil. Têm
direito ao benefício todos os trabalhadores que foram cadastrados no fundo PIS/Pasep até 4 de outubro de
1988 e que ainda não sacaram o saldo da conta individual de participação, segundo a Medida Provisória 813
– aprovada no Senado em 28 de maio.
Com a sanção da lei e a assinatura do decreto, a próxima etapa é a divulgação dos calendários de saques.
Trabalhadores da iniciativa privada que tiverem conta-corrente na Caixa, ou servidores correntistas do Banco
do Brasil, terão o depósito feito automaticamente. Demais cotistas poderão sacar o dinheiro diretamente nas
agências bancárias.
A cota do PIS é um benefício diferente do abono salarial, pago todos os anos a alguns trabalhadores. Quem
já sacou a cota na aposentadoria não tem mais direito.
O trabalhador já pode consultar o saldo que tem no PIS na Caixa Econômica Federal.
Para isso, deve acessar o site www.Caixa.Gov.Br/cotaspis e clicar em Consulte seu saldo, no lado direito da
página.

É preciso informar o número de seu PIS, CPF ou NIT (Número de Inscrição do Trabalhador).

Comments are closed.