Obra do Pontal do Estaleiro ganha fôlego em Porto Alegre

GaúchaZH

Quem passa pelas proximidades da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre, ao olhar para o lado do Guaíba já percebe os primeiros sinais do futuro empreendimento que será erguido naquele ponto da orla.

Iniciada no final de janeiro, a construção do Pontal do Estaleiro ganhou visibilidade agora com escavações, demolição de antigas estruturas do estaleiro e implantação de um sistema de contenção contra alagamentos. Em um segundo momento, dentro de algumas semanas, deverá começar o trabalho de montagem das fundações.

— A obra começou, estamos dentro do cronograma, e a previsão é entregar o complexo em 2022 — afirma o diretor-técnico da Melnick Even, Rubem Piccoli.

No local, onde estão previstos um parque, torre comercial, hotel, shopping, centro de eventos e de saúde, já é intensa a circulação de caminhões e máquinas pesadas. Um dos trabalhos mais importantes da atual etapa é a instalação de um sistema para conter a água do lençol freático, já que o terreno se encontra próximo ao Guaíba.

Grandes placas metálicas são enterradas no solo, lado a lado, para formar uma espécie de cortina subterrânea que funciona como barreira à umidade. Isso permitirá que tenham início, num segundo momento, as escavações para implantar as fundações dos prédios.

— As próximas etapas poderão começar enquanto ainda trabalhamos em fases anteriores, de forma concomitante. Não precisa terminar uma para começar a outra. Em breve, vamos começar a estrutura propriamente dita — diz Piccoli.

Outra atividade já iniciada é a demolição de estruturas remanescentes do antigo Estaleiro Só — empresa da indústria naval que encerrou suas atividades nos anos 1990. Ontem, montes de concreto e ferro retorcido eram retirados por uma caçamba. No canteiro de obras, que deverão concentrar investimentos da ordem de R$ 300 milhões, havia movimentação intensa de caminhões, escavadeiras e operários. Dentro de alguns meses, quando a construção estiver a pleno vapor, entre 500 e 600 trabalhadores deverão circular pela área.

— O projeto prevê 115 mil metros quadrados de área construída, com 92 mil metros de shopping e 23 mil da torre. Além disso, teremos o parque aberto ao público, que é uma contrapartida do empreendimento — enumera Piccoli.

As obras não vão interferir, no momento, na área de lazer provisória montada no local.

Comments are closed.