Bolsonaro anuncia 2,5 bilhões da Petrobras para a educação

Poder 360

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta 5ª feira (16.mai.2019) que deve destinar 2,5 bilhões de multas da Petrobras para o Ministério da Educação e da Ciência e Tecnologia. O número é maior que R$ 1,7 bilhão, que é o total contigenciado das universidades federais.

A declaração foi dada em live no Facebook realizada na cidade norte-americana de Dallas (Texas), onde recebeu homenagem de “Pessoa do Ano”. Estavam ao lado do presidente: Pedro Guimarães, presidente da Caixa; o almirante Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia; e uma intérprete de libras.

“Estamos nos Estados Unidos. Um acordo aqui bastante complexo, a multa de R$ 2,5 bilhões da Petrobras está voltando para o Brasil e pode ser aplicada em algo que não tenha a ver com Petrobras. Pelo que tudo indica, devemos levar esse recurso, com a participação muito ativa da senhora [procuradora-geral da República] Raquel Dodge, para o Ministerio da Educação. Gostaria de em parte, até se for possível, levar para Ministério da Ciência e Tecnologia. A gente precisa investir em pesquisa”, afirmou

Os R$ 2,5 bilhões mencionados por Bolsonaro são parte dos valores recuperadospela Lava Jato. O Ministério Público chegou a pretender criar 1 fundo para administrar esse dinheiro. Houve muitos protestos, inclusive da PGR(Procuradoria Geral da República) e de congressistas, que foram contra a medida no TCU (Tribunal de Contas da União).

Os procuradores da Lava Jato voltaram atrás da decisão de criar o fundo em 12 de março e decidiram negociar com a AGU destinação de R$ 2,5 bi da Petrobras. Em 15 de março, o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), suspendeu todos os efeitos do acordo celebrado pela força-tarefa da Lava Jato de Curitiba que estabelecia a criação de uma fundação com R$ 2,5 bilhões recuperados da Petrobras.

Assista a transmissão ao vivo:

CRITÍCA A ATOS CONTRA CONTINGENCIAMENTO

O presidente voltou a criticar os atos contra o bloqueio do orçamento das universidades federais, anunciado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. Para ele, os estudantes foram enganados pelos partidos de esquerda.

“Não foi manifestação pela educação, eu também quero, nós todos queremos educação melhor no Brasil. A manifestação foi patrocinada por uma minoria de espertalhões do PT, PC do B, Psol, PCO e sindicatos usando a boa fé de alunos que querem uma educação melhor também, para fazer 1 ato por Lula livre”, disse.