Guedes diz que Brasil sai do Mercosul se Kirchner vencer e fechar a economia

Poder 360

O ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou nesta 5ª feira (15.ago.2019) que se a chapa de oposição argentina liderada por Alberto Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como vice, ganhar e fechar a economia, o Brasil sairá do Mercosul.

“Se a Kirchner quiser fechar? Se quiser fechar, a gente sai do Mercosul. E se quiser abrir? Então vou dizer bem-vinda moça, senta aí”, afirmou durante palestra na 20° Conferência Anual Santander em São Paulo (SP).

Segundo informações da Agência Estado e do portal G1, o economista minimizou ainda o impacto da flutuação da moeda argentina para o Brasil. “Não tenho receio do balancê da Argentina, nem da queda dos gigantes lá fora. Não acho que isso vai afetar a nossa dinâmica de crescimento”, disse.

“Nosso foco é recuperar a nossa dinâmica de crescimento. Desde quando o país, para crescer, precisou da Argentina? Quem disse que esse é o modelo que a gente quer? Queremos ter indústria competitiva”, completou.

REFORMA TRIBUTÁRIA

O ministro negou ainda preocupação com a disputa entre Estados para atrair investimentos através da benefícios fiscais, a chamada guerra fiscal: “Quem é liberal não fica preocupado com guerra fiscal. Chamam de guerra fiscal, eu chamo de liberdade de reduzir impostos”.

O governo federal defende uma proposta de reforma tributária que unificará 3 impostos federais: IPI, PIS e Cofins, mas ainda não enviou uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição) sobre o tema. Enquanto isso, o Congresso avalia 2 outros projetos que incluem também impostos de Estados e municípios.

“Se todo mundo quiser IVA (Imposto sobre Valor Agregado) desde a Federação até os municípios, ok, se não quiserem, ok também. Não vou brigar com ninguém por isso, tem que respeitar a Federação. Não tem que ficar 50 anos corrigindo nada [em referência à PEC 45 que estabelece uma transição de 50 anos para os Estados]. A gente faz a nossa [reforma], quem quiser nos seguir, segue”, disse.