Porto do Recife mais competitivo

Diário de Pernambuco

Projeto barganhado desde 2015, o Porto do Recife enfim vai passar por uma obra de dragagem neste ano. O Termo de Compromisso para a execução da obra de dragagem do cais acostável foi firmado, no valor de R$ 24,1 milhões, e ela deve acontecer entre abril e junho deste ano. Além disso, também serão executadas as obras civis para reforma, melhoria e adequação da infraestrutura operacional do cais do Porto, no valor de R$ 27,3 milhões. O início deve ser em maio, com estimativa de finalização em dezembro. A expectativa é que o Porto do Recife ganhe em competitividade e a projeção é de 20% crescimento na movimentação de carga no fechamento de 2020 em relação ao ano passado.
O termo firmado com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) prevê a execução das obras de dragagem do berço 00 ao 06, que será aprofundado para 11 metros, e do 07 ao 09, para 8 metros de profundidade. “Lutamos há bastante tempo para conseguir recursos para a dragagem e, com as dificuldades gerais do país, não conseguia. A partir de 2019 começamos a fazer um trabalho mais presente em Brasília porque tínhamos o sentimento que as coisas estavam funcionando mais tecnicamente. Quem estivesse com projeto caminhando, poderia conseguir”, diz Carlos Vilar, presidente do Porto do Recife.
Para ele, as obras resolvem um problema antigo. “A última dragagem tinha sido feita em 2012 e isso criou um problema sério a ponto de termos um terminal açucareiro, um dos principais itens de exportação, e não tinha como o navio atracar. Então o estado quase não exportou o produto em 2019. Agora o porto vai voltar à normalidade para atracação de navio tanto de carga mais pesada como também vai facilitar a atracação de navio de passageiro. Hoje esse último atraca no Terminal 2 e o pessoal é transportado. Com a dragagem, consegue colocar o navio de passageiro no Terminal 6, a 50 metros do terminal de passageiro”, explicou.
O segundo termo foi firmado com o Ministério da Infraestrutura e vai contemplar novo sistema de defensas e cabeços de amarração, recuperação da drenagem, pavimentação e recuperação estrutural dos cais 00 e 01. “Com isso a gente modifica todo o sistema, vira um novo porto. Com as obras, vamos atrair investimentos, que estavam parados desde 2012. Como não tinha calado adequado e estrutura de atracação, ninguém queria investir em um porto que não consegue atracar um navio”, afirma o presidente.
BALANÇO
O Porto do Recife registrou crescimento de 15% em 2019 sobre 2018, movimentando 1.412.426 toneladas de cargas. O malte de cevada foi o produto de maior destaque, com 232.785 toneladas, uma alta de 57% em relação a 2018. Já a movimentação de fertilizantes foi de 221.140 toneladas, um aumento de 47%. Já o coque de petróleo somou 193.837 toneladas, um incremento de 43%. Para 2020, as expectativas são ainda mais positivas. “A tendência é crescer mais de 20% neste ano”, conclui Vilar.