Indústria e serviços caem em PE

Diário de Pernambuco

Pernambuco registrou quedas significativas na indústria e no setor de serviços em novembro de 2019, em comparação com outubro, o mês imediatamente anterior. A Pesquisa Industrial Mensal (PIM) e a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgadas ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram retração de -4,1% na atividade industrial do estado e de -7% nos Serviços.
Os índices foram maiores que os do Brasil e do Nordeste, que tiveram reduções de -1,2% na Indústria e de -0,1% nos Serviços, no mesmo período. No acumulado entre janeiro e novembro do ano passado e igual período de 2018, o Nordeste teve queda de -3,7%. Dos três estados pesquisados na Região, Pernambuco e Bahia sofreram retrações de -2,4% e de -3,5%, respectivamente, enquanto o Ceará apresentou uma variação positiva de -1,4%.
Para o economista Jorge Jatobá, da Ceplan Consultoria Econômica e Planejamento, a indústria está mal em todo o país, muito comprometida pela crise da Argentina. Acompanhando o contexto nacional, Pernambuco sofreu uma queda generalizada em suas atividades industriais, repetindo o resultado de novembro de 2018 quando registrou um recuo de 4,2%. Um ano depois, as mais atingidas foram as indústrias têxtil e de bebidas mas o maior impacto veio com o fechamento dos estaleiros, anulando a produção naval. No segmento de ‘Outros equipamentos de transporte não automotivos’ (que inclui navios e plataformas off shore) a queda foi de 81% entre novembro de 2019 e novembro de 2018. “Não é a primeira vez que se tenta impulsionar a indústria naval no país, tendo apenas a Petrobras como cliente e com um alto nível de exigência de conteúdo nacional”, observa Jatobá.

SERVIÇOS
No setor de Serviços, o país avançou em novembro passado em relação a novembro de 2018, registrando um aumento de 1,8% nas atividades do setor. Mas na comparação com outubro, o mês anterior, 16 das 27 unidades da federação tiveram retração em serviços em novembro de 2019. Os resultados negativos principais foram o Mato Grosso (-5,7%), Espírito Santo (-3,5%), Pernambuco (-3,0%), Santa Catarina (-1,8%) e Minas Gerais (-1,1%). Já os positivos foram Rio de Janeiro (0,8%) e o Distrito Federal (0,9%).