Com aviões Embraer, Azul planeja expansão

O presidente da Azul Linhas Aéreas, John Rodgerson, disse ontem que a companhia pretende chegar a 200 destinos nacionais nos próximos três a quatro anos. Ele apresentou os planos de expansão da empresa ao secretário executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, que já foi diretor-geral da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“Mostramos o nosso crescimento no Brasil e falamos sobre como trabalhar junto com o governo para ajudar o País a crescer e contratar mais pessoas”, disse Rodgerson após a reunião.

O executivo da Azul destacou o início das operações da companhia na ligação direta entre o Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), e Nova York (EUA), além da compra da TwoFlex, que irá adicionar 36 novos destinos nacionais na malha da empresa. “Faremos a única rota para Nova York fora de Guarulhos (SP). A Azul está crescendo onde as outras empresas não estão atuando. Com a compra da TwoFlex, estamos operando de Mossoró (RN) a Nova York”, ressaltou. “Já estamos em 150 destinos e queremos chegar a 200 nos próximos três a quatro anos”, complementou.

O presidente da Azul disse que conversou com Marcelo Guaranys sobre formas de operacionalizar de maneira mais rápida os processos de compra de aeronaves da Embraer. A exemplo do que ocorre com plataformas de petróleo, esses processos exigem movimentos de exportação e posterior importação da mesma aeronave. “O importante é conseguirmos voar logo”, declarou.

NOVAS AERONAVES

Ainda ontem, ao lado do presidente Jair Bolsonaro, John Rodgerson anunciou a compra de 75 aviões da Embraer. “Estou aqui para anunciar para você que aumentamos para 75 (aviões comprados da Embraer)”, disse. Questionado se a Azul irá receber mais aviões, o CEO da companhia aérea respondeu que serão mais 27 este ano. Rodgerson disse, ainda, que a empresa “acredita muito” em Bolsonaro.

O investimento da Azul em ampliar sua área de atuação reforça as estimativas da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) de que o segmento da aviação comercial crescerá entre 3% e 4% em 2020.

HUB NO RECIFE

Recife é hub da Azul desde março de 2016 e já conta com voos diretos para 30 destinos nacionais e quatro internacionais, partindo da capital pernambucana. Questionada como essas mudanças alterariam a malha área em Pernambuco, a Azul respondeu em nota que “nos próximos anos, a empresa esperar iniciar suas operações em uma média de 5 a 8 novos destinos”.

A empresa disse ainda que foi divulgada uma lista de cidades com potencial econômico e que, após investimentos em infraestrutura, a companhia pretende servir. “Em Pernambuco e dentro dessa lista, temos Caruaru e Serra Talhada”, complementa o texto.