Bolsonaro critica fechamento de escolas e pede fim de ‘confinamento em massa’

Poder 360

O presidente Jair Bolsonaro fez pronunciamento na TV e no rádio na noite desta 3ª feira (24.mar.2020) para tratar das ações do governo no combate à covid-19, doença causada pelo novo coronavírus e que já acometeu mais de 2.200 brasileiros.

Num discurso de 4 minutos, o chefe do Executivo federal reclamou de “algumas poucas autoridades estaduais e municipais” que tomaram decisões que ele não considera as melhores no combate à pandemia de coronavírus.

O presidente afirmou que tais autoridades deveriam “abandonar o conceito de terra arrasada“. Criticou “a proibição de transportes, o fechamento de comércio e o confinamento em massa“.

Bolsonaro disse ainda que a mídia ajudou no que chamou de “histeria” sobre a pandemia. Mas disse ter visto uma mudança editorial de veículos jornalísticos, que pedem calma. “Percebe-se que, de ontem para hoje, parte da imprensa mudou seu editorial. Pedem calma e tranquilidade. Isso é muito bom. Parabéns, imprensa brasileira.”

Sem citar nominalmente o médico Drauzio Varella, que tem presença constante em programas da TV Globo, Bolsonaro fez referência a 1 vídeo do início do ano no qual o profissional de saúde dizia não ser necessário se preocupar em demasia com o coronavírus.

“Pelo meu histórico de atleta, caso fosse contaminado, não precisaria me preocupar. Nada sentiria. Ou seria, quando muito, acometido de uma ‘gripezinha’ ou ‘resfriadinho’ como bem disse aquele conhecido médico daquela conhecida televisão.”

O presidente voltou a dizer que o grupo de risco para a doença é o das pessoas acima dos 60 anos de idade e que são raros os casos fatais de pessoas sãs com menos de 40 anos. Segundo ele, 90% da população não terá qualquer manifestação da doença, caso se contamine, e a preocupação maior deve ser não transmitir o vírus, “em especial aos nossos queridos pais e avós”.

Sobre os trabalho do ministro Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Bolsonaro afirmou que houve 1 planejamento estratégico para manter um atendimento eficaz dos pacientes no SUS (Sistema Único de Saúde). Disse ainda acreditar na capacidade dos cientistas e pesquisadores para a cura dessa doença.

Eis a íntegra do pronunciamento do presidente da República (5min2seg):

REPERCUSSÃO

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse nesta 3ª feira (23.mar) que o Brasil precisa de liderança “séria e responsável”. Afirmou ainda que não é momento para ataques à imprensa ou outros gestores públicos.

“Neste momento grave, o país precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao covid-19”, escreveu. Eis a íntegra (298 KB) do manifesto.

Bolsonaro também foi alvo de panelaços contrários ao seu governo pela 4ª vez. As manifestações foram registradas em diversas cidades, como Brasília, Rio de Janeiro, Fortaleza, Belém, São Paulo e em municípios da região metropolitana da capital paulista.

A hashtag “Fora Bolsonaro” era, até as 21h30 desta noite, o assunto mais comentado no Twitter, com 48.400 menções.

Bolsonaro postou no seu perfil no Twitter uma foto em que aparece olhando para a câmera com 1 teleprompter acoplado. O equipamento, muito utilizado por jornalistas de TV, reproduz o texto a ser lido e narrado, no caso, o pronunciamento do presidente